segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Roteiro: Londres em 7 dias (Inglaterra)

Londres foi nossa penúltima cidade da viagem para o Reino Unido e arredores. Viemos de trem saindo de Liverpool, um trajeto de 2 horas mais ou menos.

Fizemos este roteiro de 7 dias e agora compartilhamos com vocês. Esperamos que seja útil! :)

DIA 1

1. REGENT'S PARK/ 2. LONDON EYE/ 3. BOROUGH MARKET/ 4. TOWER BRIDGE



Regent's Park
Um dos maiores e mais belos parques de Londres. Quando estivemos lá estava rolando uma maratona. Caminhamos, compramos comida e almoçamos lá mesmo. Estava um dia agradável, com sol, lago, esquilinhos e flores com cores incríveis para deixar a nossa tarde ainda mais bonita. No Regent's Park você também encontra o London Zoo, um dos zoológicos mais antigos do mundo.
DICA! O parque é enorme e tem mapas a cada entrada. Para acharmos o Queen Mary's Gardens, por exemplo, a gente se perdeu muito! Sugerimos que pegue um mapa online ou mesmo tire foto de algum desses mapas das entradas para ir acompanhando pelo celular.

London Eye
A London Eye é uma das atrações mais recentes e marcantes de Londres. Construída em 1999, é uma roda-gigante enorme com cabines também enormes, onde podemos ter uma vista privilegiada da cidade em 360º. O passeio dura cerca de 30 minutos. Não é necessário comprar ingresso antecipado, mas você pode economizar algumas libras com isso. Consulte os preços aqui.

Cruzeiro pelo Rio Tâmisa
Confira aqui os preços para passear de ferryboat pelo Tâmisa. Você pode comprar o ticket no mesmo lugar da London Eye. A saída é na mesma região, inclusive. Existe um guia que fala sobre a história de cada construção que se observa na beira do rio (ou cruzando ele). Dentre eles, vemos: a própria London Eye, London Bridge, Tower Bridge, Casa do Parlamento etc. O passeio dura aproximadamente 1 hora.
DICA! No ferryboat tem um bar, então compre sua cerveja antes de começar o passeio e divirta-se!

Borough Market
Se você gosta de comer e beber, vá para o Borough Market. É uma das feiras mais antigas de Londres, com 1000 anos de existência e em torno de 250 anos no mesmo local que está hoje. Lá encontramos quiosques de diversos tipos de comidas (prontas ou para fazer em casa) e bebidas: desde regionais até quiosques especializados em queijos ou mesmo em tortas inglesas. Vale a pena almoçar um dia por lá. Além da variedade, é um lugar lindo e inspirador.
ATENÇÃO! Só é aberto ao público de quinta-feira a sábado. O restante da semana o market funciona como centro de distribuição de produtos.
DICA! Aproveite as desgustações. Quase todas barracas oferecem.

Tower Bridge
A Tower Bridge é uma das pontes mais icônicas do mundo. Sempre confundida com a London Bridge (não têm nada a ver uma com a outra, mas confundimos), foi fundada no fim do Século XIX. Comprando o ticket, pode-se subir nas torres, atravessá-las, observar o Rio Tâmisa e ver a estrutura interna bem conservada das torres. Saindo delas, temos acesso à casa das máquinas (responsáveis por levantar e baixar a ponte). Bem divertido e interessante.
DICA! Resolvemos poupar e comprar um ingresso-combo para visitarmos o Monument também (ver dia 6). Pagando apenas pelo passeio na Tower Bridge seria £9. Com o Monument pagamos £10,50.

Pub Crawl
Dia cheio e ainda inventamos de ir em Pub Crawl! Ou seja, andar mais ainda, beber e terminar na balada. Quem liga? Estávamos de férias! \o/ Escolhemos o pub crawl que o hostel indicou, que focava no bairro de Camden, um dos bairros mais descolados de Londres. Clique aqui e confira.


DIA 2

1. CAMDEN TOWN/ 2. PICCADILLY CIRCUS/ 3. CARNABY STREET/ 4. COOKIE DO BEN´S COOKIES


Camden Town
Camden é um dos bairros mais legais de Londres. Lá você encontra as pessoas mais descoladas, desde punks a hipsters, e todas as lojas que constroem esses estilos. Há uma infinidade de feiras, lojas, quiosques e stands.
As feiras são:
DICA! Em setembro/2014 foi inaugurada no Stables Market uma estátua da Amy Winehouse em tamanho natural. Vá lá tirar uma fotinho e aproveite pra ouvir alguma jam session que certamente estará rolando.

Piccadilly Circus
A grande atração desta praça são os grandes luminosos publicitários que super iluminam a rua à noite. É divertido ver como as pessoas (aka turistas) param e sentam para assistir os comerciais. Lá também encontramos a estátua de Eros, o famoso cúpido. Aproveite para ver as lojas finérrimas da região.

Carnaby Street
A Carnaby Street fica no Soho, um dos bairros mais undergrounds de Londres. É um calçadão com grandes lojas e restaurantes bacanas.

Oxford Street
A Oxford Street é a rua comercial mais movimentada da Europa. Se você tiver fobia de pessoas, não vá para lá. O trânsito de turistas e londrinos é muito intenso! Mas vale conferir as lojas que tem por lá.
DICA! Se ainda não experimentou Ben's Cookies, não sabe o que está perdendo. Eles têm a fama de produzir os melhores cookies do mundo e nós concordamos com isso. Há várias lojinhas espalhadas em Londres, mas você pode ir nos da Oxford também.


DIA 3

1. NOTTING HILL/ 2. PORTOBELLO ROAD/ 3. KENSINGTON GARDENS/ 4. HYDE PARK (HOMEM DISCURSANDO NO SPEAKERS CORNER)



Notting Hill
Notting Hill ficou mundialmente conhecida pelo filme "Um Lugar Chamado Notting Hill", mas deve-se ir além da livraria que inspirou a trama. Ande pelo bairro e observe as lindas casas e outras construções da época vitoriana. Se conseguir ir em um sábado, você pegará a famosa feira de Portobello Road, a Portobello Market. Acesse o blog Mapa de Londres e confira um roteiro que você pode fazer a pé pelo bairro.

Portobello Road
A Portobello Road fica em Notting Hill. Lá encontramos lojas de roupas, antiguidades, souvenirs etc. Como dissemos antes, vale mais a pena ir aos sábados para conferir o Portobello Road Market.

Kensington Gardens
Kensington Gardens e Hyde Park são praticamentre extensões um do outro, por isso fizemos os dois no mesmo dia. Apesar disso, pegamos metrô para nos deslocarmos (sim, dois parques juntos é muita coisa para andar). Como em muitos lugares da cidade, em Kensington Gardens há bicicletas para alugar. Resolvemos fazer isso e conhecer mais rápido o parque. Passamos por um grande lago e pelo Palácio de Kensington, onde morou Lady Diana e onde moram Príncipe William e a Duquesa Catherine atualmente. Desde 2005 há uma exposição de objetos da Princesa Diana.

Hyde Park 
No Hyde Park se encontra uma aura menos pacífica que em Kensington Gardens. Lá a agitação começa com pessoas dançando sob seus patins e fazendo coreografias e continua no Speakers Corner (Recanto do Orador). Segundo o Wikipedia, no Speakers Corner "qualquer cidadão pode fazer discursos criticando qualquer um, com exceção da Família Real e do governo inglês. Para discursar, o orador tem de estar sobre um caixote ou tablado pois, segundo a tradição britânica, o orador não pode estar sobre solo inglês, se o orador não estiver pisando em solo inglês ele estará isento das leis e tradições britânicas". Bom, vimos alguns em caixotes e outros não. As discussões eram muito sobre religião, política, sociedade e ecologia.


DIA 4

1. e 2. STONEHENGE/ 3. e 4. CIDADE DE BATH

Stonehenge e Bath
Stonehenge e Bath é um passeio imperdível e obrigatório para os que estão viajando pelo Reino Unido! Tanto que fizemos um post especial só pra eles. CLIQUE AQUI e veja todas as informações e dicas!


DIA 5

1. e 3. PALÁCIO DE BUCKINGHAM/ 2. CERIMÔNIA DA TROCA DE GUARDA REAL/ 4. BIG BEN (ELIZABETH TOWER)


Palácio de Buckingham 
Palácio de Buckingham é a residência real desde a época da Rainha Vitória, em 1937. Hoje ele serve não só como residência da Rainha Elizabeth II, mas também como gabinete da casa real. Até este ano, o palácio só era aberto ao público nos meses de agosto e setembro (cheque as datas corretas aqui, elas variam a cada ano). Mas você pode visitá-lo no inverno também, por um preço bem mais salgado (£75 atualmente). No Palácio fazemos um tour pelas 19 salas de estado que são decoradas com tesouros da coleção real e pinturas famosas (Rembrandt, Monet, Caravaggio etc). Você também encontra em exposição algumas peças pessoais da realeza. Tem uma ala bem impactante falando da infância da realeza. Lá encontramos brinquedos dos príncipes Harry e William (até do príncipe-bebê George), vídeos da rainha quando era criança, roupinhas do príncipe Charles, e em outras alas é possível ter acesso até a pertences da Lady Diana. Na saída, não deixe de tomar um chá e comer um doce como profiterólis nos jardins do palácio (sim, é possível fazer isso)! O ingresso (no verão e outono) custa £19,75, mas vale comprar antecipado online (a entrada tem hora marcada).
A TROCA DE GUARDA começa oficialmente às 11h30. De abril a julho acontece todos os dias, e de agosto a abril em dias alternados. Antes de ir, cheque o calendário aqui. E chegue pelo menos 1 hora antes se você quiser enxergar alguma coisa. É realmente muito disputado.
CURIOSIDADE! Quer saber se a rainha está em casa ou não? Olhe para a bandeira hasteada no topo do Palácio. Se for a bandeira da Inglaterra, ela não está. Se for o Estandarte Real, ela está!
BANDEIRA DO ESTANDARTE REAL DO REINO UNIDO

Horse Guards
Horse Guards já foi sede do exército britânico, hoje é sede da cavalaria real. É aqui que se celebra todos os anos no mês de junho o aniversário oficial da rainha, com uma parada militar fantástica chamada Trooping the Colour. A cerimônia é cheia de pompa e circunstância, a rainha realiza uma inspeção das tropas e então lidera-as até palácio de Buckingham.
DICA! Aqui também tem uma troca de guarda, tão legal quanto a do palácio. Começa oficialmente às 11h de segunda a sábado e às 10h aos domingos.

Big Ben (Elizabeth Tower) 
Big Ben está entre os marcos mais icônicos e populares de Londres, presente em quase todos os cartões postais da cidade e faz parte da edificação do Parlamento Inglês. O que poucos sabem é que na verdade aquela torre do relógio não é o Big Ben, e sim a Elizabeth Tower. O Big Ben é o sino que fica dentro da torre, e que tecnicamente você nunca vê, só ouve. O sino pesa 13 toneladas e 2,39m de altura. Infelizmente a visitação não é permitida para turistas, somente para residentes no Reino Unido.

Houses of Parliament
As casas do parlamento, também conhecido como Palácio de Westminster, é a sede do Parlamento do Reino Unido, e é um dos maiores parlamentos do mundo. Se você estiver interessado em assitir os debates e sessões parlamentares, a câmara dos comuns é aberta gratuitamente para todos. Informe-se sobre os dias e horários aqui. E ainda é possível fazer um tour guiado pelo Parlamento, a entrada custa £17,50.

Abadia de Westminster 
Westminster Abbey uma das igrejas mais importantes de Londres. Inicialmente católica, atualmente anglicana. É aqui que acontecem as coroações dos monarcas britânicos e alguns casamentos reais. Em 2011 foi palco do casamento do Príncipe William com a Kate Middleton. A entrada custa £18, mas para as missas a entrada é gratuita.

Trafalgar Square - Nelson's Column 
A Trafalgar Square é uma praça em homenagem à Batalha de Trafalgar, onde os ingleses venceram Napoleão Bonaparte. No centro dela se encontra a Nelson's Column (o Almirante Horatio Nelson é o herói que derrotou as tropas francesas) e os leões de bronze. É nessa praça que se comemora o ano novo em Londres, e é onde acontecem muitos protestos e eventos esportivos. É um lugar ótimo para se observar as pessoas, sentadas na grama ou nas escadas durante o dia!


DIA 6

1. NÓS NO SHERLOCK HOLMES MUSEUM/ 2. TOWER OF LONDON/ 3. ESCADA DO THE MONUMENT/ 4. SAINT PAUL´S CATHEDRAL



Sherlock Holmes Museum
Você provavelmente já ouviu falar das sagas do personagem Sherlock Holmes, não? O detetive Holmes e seu fiel escudeiro, Dr. Watson viveram na Baker Street 221b, entre 1881 e 1904, segundo as histórias escritas por Conan Doyle. É aquele caso típico de personagem marcante, que sai do livro e praticamente vira uma pessoa mesmo, uma personalidade da cidade. Tanto que hoje, na Baker Street 221b você realmente encontra a casa do Sherlock Holmes, como nos livros. Na parte de dentro há uma exposição com objetos e personagens dos livros e ainda pode-se tirar foto nas cadeiras do Sherlock e do Watson, com direito a chapeuzinho, lupa e cachimbo! O ingresso para entrar na casa/museu custa £10, e é vendido na lojinha do museu.
DICA! Aproveite o passeio pela Baker Street e visite o metrô com o mesmo nome (você provavelmente chegará de metrô, mas vale mencionar). Lá você verá a famosa imagem do perfil de Sherlock Holmes espalhada pelas sinalizações. Além disso, visite também a estátua em homenagem ao personagem, logo na saída do metrô. O monumento fica na Marylebone Road, London NW1 5LA

Tower of London 
Her Majesty's Royal Palace and Fortress, mais conhecida como Tower of London é um castelo com mais de 900 anos de história. Foi construída por “William, o Conquistador” para proteger a cidade. Inicialmente era só uma fortaleza, mas já foi palácio real, arsenal, local de execução (3 rainhas Inglesas foram executadas aqui), tortura e até prisão (daqui é que vem a expressão "sent to the Tower", que significa ser preso). Sua função variou muito ao longo do tempo. Hoje em dia, a Torre de Londres é uma das atrações turística mais populares. Aqui é onde as jóias da Coroa Britânica ficam guardadas, além de armaduras e outros tesouros históricos. O ingresso custa £22 (um pouco caro, mas vale a pena).
CURIOSIDADE! Procure pelos corvos, eles estão no local desde 1600! Segundo a lenda, o império ruirá se algum dia eles deixarem o local. Desde então, os corvos são muito bem alimentados e tratados por lá. Bom para os corvos e melhor não arriscar e manter a tradição, não?

The Monument 
The Monument to the Great Fire of London in 1666 (mais conhecido como apenas The Monument) é um memorial construido entre 1671 e 1677 para lembrar do grande incêndio de Londres (uma das maiores catástrofes da capital inglesa) e celebrar a reconstrução da cidade. Ele tem 61 metros de altura e 311 degraus até o topo. A subida é super sossegada, dá para ir parando no meio do caminho, e na saida você ganha um certificado por ter subido os 311 degraus! Vale pela vista e pelo contexto historico do memorial. A entrada custa £4, mas você pode comprar o ingresso do Monument junto com o do Tower Bridge (que fomos no dia 1), e aí fica £10,50 os dois. E não precisa ir nos dois no mesmo dia.

St Paul's Cathedral
St Paul's Cathedral é uma catedral anglicana sede do Bispo de Londres. A cúpula da catedral é a segunda maior do mundo, a maior é a Basílica de São Pedro no Vaticano. A catedral foi palco de grandes eventos ao longo dos anos: o casamento do Príncipe Charles e da Lady Diana Spencer em 1981, o funeral de Winston Churchill e Margaret Thatcher, as celebrações do Jubileu da Rainha Victoria, o aniversário de 80 anos e o Jubileu de diamante da Rainha Elizabeth etc. A entrada custa £16,50.

Tate Modern
Tate Modern é o museu de arte moderna e contemporânea mais visitado do mundo (4,7 milhões de visitantes por ano). Lá você encontra obras incríveis de artistas como Cézanne, Matisse, Picasso, Dalí, Pollock e Warhol. E o melhor de tudo, é de graça (exceto para algumas exposições especiais temporárias). É importante lembrar que todos os museus públicos da Inglaterra tem entrada gratuita.


DIA 7

1. ROYAL OBSERVATORY (PÉS NO MERIDIANO DE GREENWICH)/ 2. e 3. NATURAL HISTORY MUSEUM/ 4. ABBEY ROAD


Royal Observatory - Meridiano de Greenwich
No Royal Observatory encontra-se o Meridiano de Greenwich, que representa a longitude zero da Terra, determina os fusos horários e divide-a em oriente e ocidente. Aproveite para tirar uma foto no centro do mundo, saber mais sobre astronomia e ver o maior telescópio do Reino Unido no único planetário de Londres. A entrada no Royal Observatory custa £8,50.
ATENÇÃO! A sinalização do parque é meio precária para se achar o Meridiano. Ficamos meio perdidas porque não sabiamos que ele ficava dentro do observatório, e estávamos procurando indicações para o meridiano (que não é citado nas placa). Mas deu tudo certo, fomos pedindo informação até nos achar.

Natural History Museum
Museu de História Nacional de Londres exibe inúmeras espécimes de vários segmentos da história natural. Conta com muita interatividade para tratar dos mais diversos assuntos da ciência e da natureza. O museu é dividido em 4 zonas (blue, green, red e orange), cada uma trata de um tema diferente. Clique aqui para saber o que encontrar em cada zona. Resumidamente, você encontrará fósseis e simulações de dinossauros, mamíferos e corpo humano na blue zone; vulcões, terremotos e uma terra gigante na red zone; o Darwin Centre e o Wildlife Garden na orange zone; e ecologia da Terra, estátua de Charles Darwin e o famoso esqueleto de Diplodocus bem na entrada do museu, na green zone! A entrada é gratuita, como em todos os museus.

Abbey Road 
Para os fãs de Beatles, a Abbey Road é passagem obrigatória em Londres. A faixa de pedestres da Abbey é conhecida por ter sido a capa de um álbum dos Beatles com o mesmo nome. Desde então, muitos turistas vão até lá para tirar aquela foto clássica atravessando a rua!
ATENÇÃO! Para chegar lá, a estação de metrô certa é a St John's Wood, não a estação Abbey Road (que inclusive fica muito longe mesmo). Muitos turistas se confundem e acabam no lugar errado. Não se esqueçam, estação St John's Wood!
DICA AMIGA! Por mais fã de Beatles que você seja, não faça brasilidades! Não existem faróis para os carros pararem e eles são obrigados a frear a cada pedestre que passa. Então, atravesse e tire sua foto quantas vezes quiser, mas não PARE no meio da rua fazendo poses. Isso realmente é uma falta de respeito com os londrinos.

Esperamos que estas dicas sejam úteis para você que está planejando conhecer Londres. Caso tenha alguma dica a mais, informe-nos que incluiremos aqui! Boa viagem! CHEERS!


Posts relacionados:

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Visitando Stonehenge e Bath (Inglaterra)

Quando decidimos ir para o Reino Unido, uma das primeiras coisas que incluímos no roteiro foi o STONEHENGE, que fica a 137 km de Londres. Era um "MUST GO" pra gente! 

Pra quem não sabe, Stonehenge é um monumento pré-histórico patrimônio mundial da Unesco desde 1986. É mais antigo que as pirâmides do Egito e não se sabe ao certo a sua finalidade. Suspeita-se que tenha sido construído para ser um calendário solar ou até mesmo um local de oferendas e sacrifícios. Mas também há evidências de que tenha sido um cemitério. A primeira estrutura a ser construída foi a vala circular em volta das pedras, por volta do ano de 3000 a.C.. Já as pedras, que pesam 50 toneladas cada, foram trazidas por volta de 2500 a.C. das montanhas Preseli (que ficam a 220 km de distância de Stonehenge). Estima-se que foram necessários pelo menos 500 homens para mover cada uma das pedras. Simplesmente impressionante, não?


O TOUR
Partindo de Londres, fomos de ônibus com tour guiado de mais ou menos 10 horas (planeje-se para "investir" um dia inteiro neste passeio). O ingresso já estava incluso no nosso tour, mas o ticket avulso custa £13,90. É uma viagem de 2 horas até a cidade de Amesbury, onde está localizado o monumento.

Chegando na entrada de Stonehenge, você recebe um áudio guide e um mapa, e segue de trenzinho até o local. Saindo deste trenzinho, a vista já é incrível. Não só as pedras, toda a paisagem em volta também é fantástica. Consiste em um campo aberto e plano, com vaquinhas pastando em volta desta grande área. Você pode dar a volta completa em volta das pedras, e se precisar, encontrará explicações detalhadas em plaquinhas informativas no chão. Toda a área do Stonehenge é cercada, é uma pena não pode chegar tão perto, mas sabemos que só assim o monumento pode se manter conservado.

A construção é surpreendente, ainda mais quando se para pra pensar em como é antiga (não consigo parar de pensar que isso é MAIS VELHO QUE AS PIRÂMIDES DO EGITO!). Tivemos 2 horas para explorar a área devido ao tour que compramos. Pode parecer pouco tempo, mas foi mais do que suficiente para ver tudo calmamente, tirar umas fotos, observar a paisagem em volta e ainda dar uma olhada bem rápida na lojinha de souvenirs. Sim, fomos super previsíveis e compramos uma miniaturinha de lembrança, haha!




De lá seguimos para a segunda parte do passeio. Fomos para a cidade de Bath, que fica a 1 hora de distância de Stonehenge. Bath é uma cidade Georgiana que no passado foi um assentamento romano. A cidade cresceu em volta de uma antiga casa de banhos (por isso o nome Bath), que agora é um museu. 

Devido ao tour, tivemos mais ou menos 2 horas livres na cidade, e nesse tempo visitamos os banhos romanos (Roman Baths). O ingresso avulso para o museu custa £13,50, o nosso já estava incluso no tour. Os banhos romanos de Bath foram construídos no ano de 43 d.C. após a invasão romana das Ilhas Britânicas. Depois da retirada dos romanos, parte dos banhos foram destruídos e soterrados, sendo que suas ruínas só foram redescobertas por volta de 1880. Dentro do museu você encontra em exposição alguns objetos do período da Bretanha Romana: objetos encontrados na escavação, cabeças de bronze, altares, pedras tumulares, moedas romanas etc. Apesar de ser uma casa de banho, é proibido entrar na água, nem ao menos tocar nela durante a visita. Na entrada é informado que a água é extremamente poluída e isso dá para perceber pela cor esverdeada.












.

COMO CHEGAR
  • Indo de trem e ônibus
    Saindo de Londres, vá de trem até Salisbury. A passagem custa de £10 a £30 e você pode comprá-la pela Virgin Trains ou pela Megabus. Chegando em Salisbury, pegue o ônibus The Stonehenge Tour que te deixa na entrada de Stonehenge. A passagem custa £14 ida e volta. Já o ingresso para entrar em Stonehenge custa £13,90. Pronto! 
  • Indo com um tour guiado
    Fomos com a Anderson Tours (indicação do hostel), compramos um pacote para Stonehenge e Bath por £54. Nesse preço, além do transporte, estava incluso a entrada de Stonehenge e a entrada para os Roman Baths. No nosso caso valeu mais a pena ir com o tour, já que pagando tudo separado custaria entre £51,40 e £ 71,40. Quase o mesmo preço ou mais caro.

Vale falar que, se você fizer o passeio sem tour guiado e ir por conta própria, pode valer mais a pena conhecer a cidade de Salisbury no lugar de Bath, como fizemos. Já que indo de trem, obrigatoriamente você já descerá em Salisbury para ir para Stonehenge. As duas cidades são igualmente incríveis! Bath com seus banhos romanos e Salisbury com sua Cathedral Medieval. Escolha difícil!

Esperamos que estas dicas possam ajudá-los e inspirá-los a conhecer este patrimônio mundial que é o Stonehenge!

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Informações úteis e dicas sobre Liverpool (Inglaterra)

Semana passada postamos um roteiro para passar 2 DIAS EM LIVERPOOL. Também falamos ONDE NOS HOSPEDAMOS NA CIDADE. Agora conheça algumas informações úteis e curiosidades sobre a cidade, que é a 5ª maior da Inglaterra e é considerada a mais bela cidade do país. Beatles é só uma pequena parte dentro de tanta história!

GERAL:

  • Liverpool é uma das principais cidades portuárias da Inglaterra e é considerada uma das cidades mais bonitas do país.
  • A moeda local é Libra (em inglês, Pounds).
  • Voltagem: 240 volts.
  • Fuso horário: geralmente está 4 horas à frente de Brasília. Mas como Brasil e Inglaterra têm horário de verão, você pode conferir aqui a hora exata de Liverpool.
  • Temperatura: fomos para Liverpool em setembro e o tempo estava pra lá de agradável. De dia nem precisamos de casaco. Veja abaixo a tabela de medidas de temperatura ao longo do ano:
Fonte: Wikipedia








COMPRAS:
  • Nós não imaginávamos que o comércio de Liverpool seria tão surpreendente. Todas as lojas que se encontram nas grandes cidades da Europa, também são achadas lá. Em belos e elegantes calçadões, estão a maior parte dessas loja, shoppings e restaurantes. Destacamos:
    Metquarter - O shopping das lojas caras e grifes famosas, na Whitechapel Street.
    Liverpool One - O shopping das marcas que adoramos: Topshop, Primark, entre outros.
    - Ruas Church e Matthew têm lojas de todos os tipos, desde departamentos até boutiques. Vale à pena a caminhada.
  • Sobre souvenirs de Beatles, não precisamos indicar algum lugar. Você facilmente achará por toda a cidade. Canecas, bonecos, bolsas, óculos estilo John Lennon, roupas... tudo, tudo mesmo para deixar qualquer beatlemaníaco na miséria, yeah yeah yeah!

MEDIDAS DE ROUPAS E SAPATOS:

TRANSPORTE: 
  • PARA CHEGAR A LIVERPOOL DE TREM:Liverpool fica a (no mínimo) 2 horas de Edimburgo e de Londres. Compramos a passagem uns dois dias antes da partida, é bem tranquilo! Pesquisamos pela Go Euro e novamente escolhemos a Virgin Trains. Todos os trens desembarcam na estação Lime Street, que fica é próximo de onde nos hospedamos. 
  • PARA CHEGAR A LIVERPOOL DE AVIÃO:É muito mais prático ir de trem ou ônibus, quando já está dentro da Europa. Mas caso precise chegar a Liverpool de avião, você descerá no Liverpool John Lennon Airport. Você pode se informar melhor como chegar ou sair do aeroporto para a cidade, clicando aqui. 
  • TRANSPORTE PÚBLICO EM LIVERPOOL:Sério, não é para tanto! Tudo conseguimos fazer a pé, exceto o tour Magical Mystery Tour que falamos AQUISe por algum motivo você precise usar o transporte público, clique aqui e informe-se melhor. 

A CIDADE:
  • A cidade respira Beatles e Liverpool Football Club. Apesar do grande peso histórico de Liverpool, esses dois filhos da cidade a colocaram no mapa e trazem muitos turistas, todos os anos.
  • Liverpool foi o porto de registro do Titanic. Na cidade você encontra algumas homenagens e referências, como o Titanic Hotel e o Engineers' Memorial. Atualmente, o Museu Marítimo expõe "Titanic e Liverpool: a história não contada". Uma curiosidade é que 1 entre 10 pessoas da tripulação do navio era de Merseyside (região do Rio Mersey), incluindo os dois que avistaram o iceberg que bateu na embarcação.
  • Merseyside Derby é um campeonato de dois. Os times com a maior rivalidade da cidade, Liverpool e Everton, enfrentam-se neste campeonato que é um dos mais antigos do mundo.
  • É uma cidade diversificada demograficamente. A mais antiga comunidade chinesa na Europa está em Liverpool, por exemplo.
  • A orla do Rio Mersey tem uma paisagem estonteante e concentra algumas das maiores atrações da cidade.
  • Não existem tantos turistas quanto nas grandes cidades. E menos ainda, turistas que não sejam super fanáticos por Beatles (nosso caso).
  • É uma das cidades mais baratas que passamos por esta viagem. Desde acomodações, à comida, bebida e passeios, Liverpool oferece bastante variedade a preços acessíveis.
  • Não tivemos sorte com bares, pubs e nighclubs. Apesar de sempre abertos, eles sempre estavam vazios. Acreditamos que seja porque fomos em dia de semana.

LIVERPUDLIANS/SCOUSES
  • Os nomes acima são como são chamadas as pessoas que nascem em Liverpool.
  • O povo é tão lindo e fofo quanto a cidade. São pessoas solícitas e amáveis que estão sempre dispostas a te ajudar.
  • Scouse também é um prato tradicional de Liverpool e consiste em um ensopado bem encorpado, com carne e batata. Veja a receita aqui.

  • Sotaque: socorro! Não entendemos nada do que eles falam. Para quem está acostumado com inglês americano ou londrino, vai sofrer um pouco. É mais ou menos isso:


Para saber um pouco mais sobre Liverpool e o que fazer enquanto estiver lá, confira já nosso ROTEIRINHO especial sobre esta fantástica cidade!


Posts relacionados:

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Roteiro: Liverpool em 2 dias (Inglaterra)

Nosso terceiro destino da viagem para o Reino Unido e arredores, foi Liverpool.
Saindo de Edimburgo (Escócia) para lá, pegamos um trem da Virgin Trains (compramos as passagens dois dias antes da partida, pela internet) e descemos na estação Lime Street, a 10 minutos do nosso HOSTEL. Foram quase 4 horas de viagem.

Liverpool é uma cidade portuária da Inglaterra e seus dois filhos mais famosos são Beatles e Liverpool Football Club, que atraem milhares de turistas o ano todo.

Baixe o mapa da cidade aqui para se localizar e siga nossas dicas. :) 

DIA 1

Torre Radio City 96.7
Você conseguirá ver a torre da Radio City 96.7 logo que chegar em Liverpool.
Trata-se do edifício da rádio. O visitante pode acessar o topo com um guia, tendo uma vista fantástica do horizonte de Liverpool e além. O acesso é pela recepção da rádio mesmo. O legal é que você divide a curiosidade entre a vista da cidade e espiar o dia-a-dia da rádio.
Preços e horários, acesse aqui.

Passeio nas Docas

Nós chegamos à conclusão que Liverpool é uma daquelas cidades que você sente simpatia gratuita. Um dos motivos de você se sentir tão bem lá são as docas do Rio Mersey. Fomos mais de uma vez, porque há grandes atrações naquele lugar. O pôr do sol é inspirador e compõe uma imagem magnífica junto a gaivotinhas, esportistas, turistas, casais, pets, crianças, senhorzinhos caminhando... tudo numa sintonia deliciosa de comercial de margarina. Tanto que fizemos um vídeo das pessoas passando simplesmente, para sempre lembrar da sensação boa que Liverpool nos deixou.



Esta região do porto de Liverpool é Patrimônio Mundial da Humanidade declarado pela Unesco em 2004. Esta parte da cidade conta com o maior conjunto de edificios do Reino Unido catalogados como de interesse histórico-artístico. Caminhe por lá e pegue um ferry para passear pelo Rio Mersey.

Cruzeiro no Rio Mersey

Nas docas você encontrará "stands" para comprar tickets para um passeio de ferry no Rio Mersey. Não há necessidade de comprar o ticket com antecedência, o ferry/navio tem 800 lugares para passageiros e é difícil de lotar. O passeio que dura cerca de 50 minutos passa por pontos importantes da cidade: o Porto de Liverpool, Igreja de St. Nicholas, Liver Building e o Museu de Liverpool. O navio sai de Albert Docks
Preços e outras informações, clique aqui.

Albert Dock

Esta doca reúne boa parte das grandes atrações de Liverpool: museu de arte moderna TATE, Beatles Story, Museu Marítimo, Museu da Escravidão etc. Os prédios formam um quadrilátero com saída de embarcações no centro. É importante parte do Patrimônio Mundial da Humanidade declarado pela Unesco. Você encontra lá bons restaurantes e lojas também.

Cavern Club

Passagem obrigatória para quem vai para Liverpool, este club é famoso por ser o que apresentou pela primeira vez os Beatles oficialmente. Nos anos 70, o Cavern foi demolido. E depois de 11 anos, ele foi reerguido 15 metros à frente. Tirando a porta de entrada, a estrutura do lugar é idêntica à original. Você pode comprovar isso quando estiver visitando o Beatles Story, porque lá tem uma réplica fiel do que era o Cavern Club na época de ascensão do Fab Four.
Leve uma caneta que dê para escrever em tijolinhos, as paredes são todas rabiscadas por fãs e nós também deixamos nossa marca por lá!

Ou tentamos deixar nossa marca... junto com a do Pablo.


O Cavern abre de segunda à segunda e todos os dias você verá algum cover dos Beatles. Mas também rolam outras músicas dos clássicos do rock.

PONTO FRACO:
Cerveja cara e quente em copo de plástico! E se você não for um grande fã de Beatles, pode achar aquela paixão toda muito exagerada. Mas não seja esta pessoa, você estará num dos redutos mais épicos dos fãs dos caras.
PONTO FORTE:
Reunião de todas as idades e nacionalidades num mesmo nightclub. Encontramos muitos brasileiros pra lá dos seus 60 anos, empolgadíssimos por estarem no lugar onde os Beatles começaram! É um ambiente muito gostoso pra conhecer pessoas e dançar.


DIA 2

Beatles Story + Cine 4d dos Beatles

O Beatles Story é o museu oficial da história dos Beatles. Além de objetos do quarteto, você pode conferir fotos, cenários imitando lugares que frequentavam como o Cavern Club, por exemplo. Muita parte é lúdica e divertida para adultos e crianças, como por exemplo entrar no Yellow Submarine e brincar com o periscópio (aquele "binóculo" clássico dos submarinos). Tudo isso acompanhado de música, claro. No final da visita, depara-se com um cenário parecido com o do clipe Imagine, de John Lennon e Yoko Ono. Inclusive o piano branco está lá (mas não sabemos se é o original).

O Cine 4d (Fab4D) está dentro do valor que você paga para entrar no Beatles Story, mas não é no mesmo prédio. Prepare-se para ser molhado com água e estourar bolhas de sabão... aquela magia toda do cinema 4D. Além do que a animação é super maluquinha e fofa!



Veja preços e horários do Beatles Story aqui. Não há necessidade de comprar antes, talvez só em agosto por ser o mês do International BeatleWeek.

Museu de Liverpool

O Museu de Liverpool é um dos museus mais legais que estivemos. Mistura história com parte interativa, dá destaque para outros filhos da cidade, tem seções muito bem definidas como: história, esportes, transportes, música, sexualidade etc. Vale a pena conferir, a entrada é gratuita e a arquitetura é magnífica.

Magical Mystery Tour

Em um ônibus parecido com o do filme homônimo, acontece um passeio de duas horas cheio de fãs e curiosos da banda Beatles. Com muita música e bom humor do guia, passamos em frente e/ou paramos em pontos históricos do Fab Four: escolas que estudaram, suas ex-casas, o orfanato desativado Strawberry Fields, a famosa Penny Lane etc. Este passeio sai da região das docas e termina no Cavern Club (sim, fomos duas vezes no Cavern).
Mais informações sobre preços e horários, confira aqui.

PONTO FRACO: Nem pense em tomar umas cervejas antes, experiência própria! São duas horas sem fazer xixi, não tem parada no passeio com esta finalidade e o ônibus não possui banheiro. HELP, I NEED TO PEE!

Jamie Italian
Os restaurantes fecham muito cedo lá também, como em todas as cidades que passamos. Por isso, eram 18h e já estávamos jantando!
Jamie Oliver é um dos chefs mais conhecidos do planeta, então resolvemos ir lá saber o porquê. Como este restaurante dele só serve comida italiana, pedimos massa e estava bem gostosa. O melhor é o preço acessível. Numa super lasagna por exemplo, eu paguei umas 10 libras mais ou menos.

NÃO FIZEMOS, MAS VOCÊ PODE FAZER
  • Cavern Pub: É do lado do Cavern Club, dá um pulo lá!
  • Casbah Coffee Club: O Cavern Club foi o primeiro que apresentou os Beatles, mas o Casbah foi o primeiro a apresentar o Beatles em formação.
  • Liverpool Cathedral: A maior igreja anglicana da Inglaterra.
  • Panoramic 34: Situado no 34º andar da West Tower, é um dos restaurantes mais altos do Reino Unido, com uma vista panorâmica de 360º de Liverpool.
  • Chinatown: Liverpool acolhe a mais antiga comunidade chinesa da Europa! Mas vá também pelo portal chinês lindo, comida e bugingangas.
  • Tate Liverpool: Uma "filial" de um dos museus mais famosos do mundo. A entrada é franca (exceto para exposições especiais).
  • Museu Marítimo de Merseyside: Objetos do Titanic (o porto de registro do Navio é de Liverpool), vida no mar e Porto de Liverpool em destaque.
  • Museu Internacional da Escravidão: A história não contada do povo escravo, e a escravidão histórica e contemporânea.
  • FACT: Foundation for Art and Creative Technology é o principal centro de artes de mídia do Reino Unido, apresentando, entre tantas atrações, projetos artísticos e os últimos “blockbusters” de Hollywood.
  • Jogos de futebol: Liverpool FCEverton FC são os dois maiores times (e rivais) da cidade. Assista um jogo deles e sinta a paixão de um liverpudlian pelo futebol.

EVENTOS
  • AGOSTO/SETEMBRO - International BeatleWeek: É um verdadeiro evento internacional com bandas vindas de mais de 20 países e fãs vindos de mais de 40 países! Liverpool vira palco de palestras, encontros de fãs, shows, passeios e muitos mais, tudo relacionado aos Beatles.
  • AGOSTO - Liverpool International Music Festival.

Esperamos que nossas dicas sejam úteis para você conhecer esta pequena grande cidade, tão acolhedora e linda.


Posts relacionados:

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Dica de hospedagem em Liverpool: Euro Hostel (antigo Hoax Hostel)







Update (27/11/2015): O Hoax Hostel mudou de nome recentemente. Agora se chama Euro Hostel.

Escolher um hostel em Liverpool até que foi fácil, queríamos algo bem central e perto da estação de trem. Eram poucas opções e o Euro Hostel era um dos que tinham a melhor localização, além de ter as melhores notas e muitos comentários positivos no HostelWorld.com e no Booking.com. Quando chegamos lá fomos surpreendidas, o hostel era muito mais legal do que pensávamos!

Mas vamos por tópicos:

LOCALIZAÇÃO
O Euro Hostel fica perto da estação de trem Lime Street. Levamos menos de 10 minutos andando de lá até o hostel. A Lime Street é uma das estações principais de Liverpool, é de lá que sai e chega o trem para Londres e para outras partes do Reino Unido. O hostel fica na área de Cavern Quarter, mais central e bem localizado impossível. A área ao redor é quase toda pedonal, com lojas, pequenos shoppings, restaurantes e pubs. Perto de tudo! Além de ficar a poucos metros do famoso Cavern Club dos Beatles. Os museus, galerias de arte e as docas também estão a uma distância pequena. Você chega em quase todos os pontos turísticos a pé sem problemas.

SEGURANÇA
A área de Cavern Quarter é bem segura. De dia sempre tem um fluxo muito grande de pessoas passeando, já a noite as ruas são mais vazias, porque as lojas e a maioria dos restaurantes fecham as 20h por lá. Também tem alguns pubs e baladas por lá, e a maioria deles ficam abertos até mais ou menos 2h da manhã, então a área nunca fica deserta. Já no hostel, os quartos possuem lockers individuais e você só tem acesso ao elevador, escada e área dos quartos com sua chave/cartão.

LIMPEZA
É simplesmente um dos hostels mais limpos em que já nos hospedamos. Além de tudo, é muito novo e conservado. Os quartos estavam sempre limpos, os banheiros estavam sempre brilhando e as roupas de cama estavam como novas. As áreas comuns também estavam limpíssimas.

ESTRUTURA E SERVIÇOS
Tem wi-fi de graça em todo o hostel (até nos quartos), sala de bagagens (luggage room), para os que chegam antes do check-in ou vão embora bem depois do check-out e café da manhã (não incluso na tarifa) servido no bar do térreo. As camas são super grandes, com tomadas e luminária, e eles oferecem uma toalha ótima de graça (a maioria dos hostels costuma alugar as toalhas). Já o banheiro é separado em 2 partes (chuveiro de um lado, e privada e torneira do outro), isso é ótimo porque geralmente um dos dois está desocupado.

ATMOSFERA
Tem um bar super bonitinho no térreo e no subsolo chamado Hopskotch, a decoração é incrível! No subsolo tem uma mesa de sinuca e um telão para assistir jogos (de preferência do Liverpool F.C., haha). Mas não rola tanta interação entre as pessoas por la. O Euro Hostel é um hostel novo, quando fomos tinha poucos hóspedes. Ficamos 2 noites lá e nosso quarto nunca ficou cheio, uma noite tinha 4 pessoas e na outra ficamos só nós duas em um quarto para 6 pessoas. Não estamos reclamando, a gente ADOROU ficar com o quarto só pra gente, haha! O Euro Hostel não é um party hostel, é mais indicado pra quem quer um pouco de conforto de hotel por um preço de hostel por uns dias!

ALGUM PERRENGUE?
Nada é perfeito, não? Um ponto negativo desse hostel é o barulho a noite. Dependendo da localização do quarto, você pode acabar ficando bem em frente a uma balada que tem na rua de trás. A música é alta todas as noites, mas não passa da 1h da manhã. O hostel oferece protetores auriculares de espuma de graça na recepção. Nem usamos, só ficamos 2 dias, então o barulho não chegou a nos incomodar tanto.

VALORES
Ótimo custo-benefício! A diária varia mais ou menos entre £12 e £18, depende do tipo de dormitório (4, 6 ou 8 pessoas). Vale falar que Liverpool é bem barata se você comparar com o resto do Reino Unido, não só em hospedagem. Então pra gente, o preço desse hostel foi uma pechincha!

Se quiserem saber mais, acessem os sites do Euro Hostel ou do Booking.com. Boa viagem!

1. quarto; 2 e 3. banheiros; 4. Hopskotch, o bar do hostel; 5. cama.





Posts relacionados:

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Informações úteis e dicas sobre Paris (França)

Olá! Semana passada postamos um roteiro para passar 4 DIAS EM PARIS. Também falamos ONDE NOS HOSPEDAMOS NA CIDADE. Agora conheça algumas informações úteis e curiosidades sobre a cidade-luz.

GERAL
  • Paris é a capital da França, que participa da comunidade da União Europeia.
  • Assim, a moeda local é o Euro (€).
  • Fuso horário: a diferença de horas varia pelo horário de verão brasileiro e francês. Para verificar o horário de Paris agora, clique aqui.

TEMPERATURA:
  • Confira esta tabela de temperatura média de Paris, extraída do site Guia Viagem:

.
COMPRAS:
  • Montmartre é o bairro de comércio popular. Se quiser algo barato, principalmente souvenirs, você pode comprar lá. Além de encontrar várias réplicas da art nouveau em produtos como canecas, plaquinhas etc.

    -
  • Para compras mais elaboradas, vá até a Avenida Champs Élysées. Tem desde as lojas de departamento que amamos, até Tiffany & Co.
  • O maior e mais antigo mercado de pulgas/antiguidades em Paris é o Vernaison, em Saint-Quen. São roupas, móveis, peças para colecionadores, prataria etc. Confira opiniões e endereço aqui. 

MEDIDAS DE ROUPAS E SAPATOS:

VOLTAGEM:

TRANSPORTE
  • PARA CHEGAR A PARIS DE TREM:Se estiver já dentro da Europa, tente ir de trem. Nós estávamos em Londres e resolvemos ir para Paris de trem-bala. A companhia chama Eurostar e realmente a viagem é rápida. As vantagens são: você nunca pagará bagagem extra e também não precisa despachar sua mala. Além disso, você pode descer bem no centro da cidade e não em um lugar afastado, como acontece em aeroportos. Nós desembarcamos na estação Gare du Nord, que é menos de 10 minutos do nosso hostel.
    Acesse o site Go Euro para obter preço de passagem e saber exatamente em qual estação de trem irá desembarcar.
    DICA! Se for de Eurostar, tente comprar bem antecipadamente. Nós deixamos para a última hora e tivemos que pagar mais que o dobro em comparação a outras pessoas. Compramos de última hora porque em 99% dos casos, a compra de ticket de trem é feita por um preço menor que o exibido na internet. Mas se for de Eurostar, não bobeie! Compre antes.
  • PARA CHEGAR A PARIS DE AVIÃO:Há quatro aeroportos principais que atendem Paris. Por ordem de importância, são: Charles de Gaulle, Orly, Beauvais (se você voar da Irlanda para França, este deve ser o aeroporto que desembarcará) e Vatry. Já usamos os dois primeiros, um para escala e outro para embarque, e os dois são de fácil acesso via transporte público.Você pode se informar melhor sobre as diversas maneiras de chegar ou sair dos aeroportos pelo blog Viaje na Viagem.
  • TRANSPORTE PÚBLICO EM PARIS:Com ônibus, metrô (Metropolitain) e trem (RER), Paris conta com um amplo atendimento em transporte público, o que é essencial para os viajantes em uma cidade tão grande e cheia de atrações.
    Há várias opções de compra de passes e cartões para transporte. Veja mais no site Viaje na Viagem e veja o que é mais ideal para você.
    Como ficamos apenas 4 dias em Paris, optamos em comprar uma vez os 10 passes (em duas pessoas) e o restante compramos avulso.

As entradas do metrô têm estilo art nouveau. Créditos: Wikipedia (user: Moo moo the cow)

A CIDADE
  • Paris é considerada a cidade-luz pelo número de intelectuais que nasceram lá, mas não dá para negar que tudo fica mais bonito à noite. Os monumentos e atrações iluminados ganham um destaque especial para os apreciadores.
  • Como fomos em setembro, no começo do outono, o clima ainda estava agradável. Sol e vento gelado é uma boa combinação! Mas a não ser que você queira ver neve, não vá no inverno. O frio é muito rigoroso, principalmente para brasileiros.
  • A cidade não é uma das mais seguras da Europa, turistas são furtados facilmente em locais como metrôs e atrações turísticas. Não ache que você estará tão seguro que poderá andar distraidamente. Tome conta dos seus pertences se não quiser passar por dor de cabeça.
  • As placas são dificílimas de entender! Quando o sinal é para seguir em frente, que em "português" seria a setinha para cima, as placas francesas apontam para baixo. Você fica perdido na tradução, afinal seta para baixo é para descer (pelo menos para nós). É um verdadeiro exercício mental, esperamos que você goste do desafio. ;)
  • Bonjour significa "bom dia" mas tem uma função muito maior. Recebíamos bom dia até o pôr do sol e isso é realmente intrigante para quem não conhece os costumes franceses. O blog Vida na França explica o segredo do bonjour para iniciantes. É bom ler, porque eles realmente esperam seu bonjour. Questão de educação. :)
  • Aliás, decore algumas palavras educadas e evite coisas simples em inglês. Afinal, não é tão difícil e você pode agradá-los. Algumas que usamos: bonjour (bom dia/ olá), si vous plait (por favor), excusez-moi (com licença), pardón (desculpe/ com licença), merci (obrigado), a bientôt (até breve/tchau), salut (oi/tchau), ça va (como vai?).
  • Não sofremos com a famosa lenda de "se você falar inglês em Paris será ignorado e maltratado", mas também muitos não estão preparados para te responder. A mímica é a segunda língua do viajante. Diversas vezes perguntamos em inglês e a resposta veio em francês com muito uso das mãos... e no final, todo mundo se entendia.
  • A Estátua da Liberdade que está em Nova York foi feita pelo francês Frédéric Auguste Bartholdi, para presentear os Estados Unidos. Mas ela é uma réplica! As duas originais estão em Paris. A maior delas fica na extremidade da Île des Cygnes, na altura da Ponte de Grenelle e está voltada para oeste, para a estatua original em Nova York. A segunda réplica esta esta dentro dos Jardins de Luxemburgo. Leia mais no blog Viver Paris.

  • O bairro de Marais é um bairro judeu e reduto gay. Os dois convivem harmoniosamente, entre vernissages, livrarias, brechós e muito mais.
  • Se você curte andar de bike ou correr, deve ir até Promenade Verte. É uma antiga linha de trem que foi desativada e transformada em espaço para prática de esportes e para pedestres passearem.
  • O Canal de San Martin é um espaço que vale visitar por seus bares, cinemas, teatros etc. No verão as pessoas sentam à beira do canal para se reunirem e fazer piquenique.
  • As catacumbas da cidade guardam, por questões sanitárias, ossadas de muitos cemitérios. O resultado é uma obra mórbida, que enfeita as paredes deste espaço subterrâneo. Por 10 euros, há acesso de visitante para elas, mas são 20 metros de caminho abaixo. Se você gosta de um passeio sombrio, vale à pena. E para ser mais aterrorizante, elas estão abertas à visitação durante a noite. Para saber mais, clique aqui.
  • Se você for à Montmartre e encontrar a Praça Marcel Aymé, vai ver uma escultura de um homem atravessando a parede. Isso é referente à obra do escritor com o mesmo nome da praça. Aymé escreveu sobre um homem que atravessava as paredes de Paris para encontrar sua amada. Mas um dia ele ficou preso, porque perdeu seu "superpoder" para sempre.
Créditos: Jeff Nunes

  • Há muitas estátuas em Paris com homens montados em seus cavalos. Há uma simbologia para isso: se o cavalo estiver com todas suas patas no chão, o homem homenageado morreu de causas naturais; se o cavalo estiver com uma pata dianteira levantada, este homem morreu em decorrência a ferimentos de guerra. E se o cavalo estiver com as duas patas dianteiras no ar, o homenageado morreu em combate.
  • É mentira que a cidade é só feita de imigrantes e turistas. Mas que há muitos (muitos, muitoooos) turistas, há! Por isso, compre antecipadamente seus ingressos para atrações.

PARISIENSES E RESIDENTES
  • Sim, eles fedem. O valor que eles dão a bons perfumes é inversamente proporcional ao que dão aos desodorantes. Uma catinga dos infernos... prepare suas narinas, principalmente se for visitar a cidade no verão.
  • Moradores de rua dormem em estações de metrô e não são proibidos em fazer isso (pelo menos não na prática).
  • Paris é uma das cidades que mais recebe imigrantes de origem africana e asiática do mundo. Ainda assim, há menos misturas étnica e social que no Brasil.
  • Sempre nos perguntamos: com tanta comida boa, como os parisienses são magros? Simples, eles andam. Andam muito! Sobem e descem muitas escadas, principalmente no metrô. A cidade é convidativa para pedestres e quem usa transporte público.
  • Paris é considerada uma das capitais mundiais da moda e realmente é possível reconhecer um parisiense pelas roupas que ele usa. São elegantes e modernos, mas sem cair no pedantismo. Aquilo é o dia a dia deles, principalmente para os jovens.
  • É comum homens de terno e gravata e mulheres vestidas com roupa social se locomoverem com patinetes. Como dissemos, lá se anda muito e o patinete ajuda a encurtar as distâncias.
  • Eles odeiam ser esbarrados, mesmo que o espaço seja limitado. Tente não encostar neles. Mesmo com um "pardón", você vai levar uma encarada feia.

COMIDAS E BEBIDAS
  • Queijos, baguetes, vinhos, espumantes, crepes... tudo isso é a cara de Paris e a cada esquina você pode encontrar facilmente essas iguarias.
  • Vá até uma das casas de queijo mais famosas de Paris, a La Fromagerie Lasnier. Você deve levar seu próprio pão, comprado em outro lugar, e eles recheiam para você! 
  • Comer bem faz parte da cultura parisiense, mas lá não é exatamente um lugar barato. Se quiser aflorar seu lado gourmet, vai ter que gastar!

EVENTOS
  • MAIO - Le Printemps des Rues: São 3 dias de festival de artes de rua com teatro, clowns, marionetes, esculturas, fanfarras, circo, passeios, danças e muito mais.
  • JUNHO (21/06) - Fête de la Musique: evento popular e gratuito que acontece somente em um dia, para comemorar o início do verão. A França exportou este modelo de festival, que já está sendo copiado em São Paulo, por exemplo. Para saber mais sobre o evento que abre o verão parisiense, acesse.
  • JULHO/AGOSTO - Paris Plages: como em Paris não existe praia, a prefeitura as cria artificialmente no verão. Ruas às margens do Rio Sena são bloqueadas e nelas são espalhadas toneladas de areia, além de coqueiros e tudo mais que possa lembrar uma praia. Também são organizadas várias atividades para o parisiense se divertir.
  • JULHO/AGOSTO - Paris Quartier d'été: Todo verão, Paris Quartier d'été oferece a céu aberto shows, circo, teatro e outras performances artísticas. Em ruas, jardins, parques, museus, igrejas etc., as apresentações acontecem no centro e na periferia.
  • JULHO/AGOSTO - Festival du Cinema en Plen Air: Festival de filmes a céu aberto no Parc de la Villette.
  • SETEMBRO - Techno Parade: O segundo maior evento musical a céu aberto da França (depois de Fête de la Musique), é o Techno Parade, festival de música eletrônica.

Esperamos que estas dicas sejam válidas para vocês conhecerem ainda mais Paris. Para um roteiro completo de 4 dias na cidade-luz, ACESSE AQUI.


Posts relacionados:

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Roteiro: Paris em 4 dias (França)

Olá! Nosso quinto e último destino da viagem que fizemos pelo Reino Unido e arredores, foi Paris. Saindo de Londres, fomos para lá de trem pela companhia Eurostar. Em menos de 2 horas, cruzamos o Canal da Mancha e chegamos à França. Veja detalhes sobre isto, além de informações úteis e mais dicas sobre Paris CLICANDO AQUI.

Montamos este roteiro para quem vai dar um pulo rápido em Paris e quer aproveitar o que tem de melhor da cidade. Aproveite!

DIA 1

Bairro da Amélie, reduto da boemia, Moulin Rouge, Igreja de Sacré-Cœur, cafés charmosos, lojinhas de souvenirs baratinhos... por essas e outras começamos Paris por Montmartre, que é um dos bairros mais famosos da cidade. Desça no metrô Abbesses e saia explorando esta charmosa colina de Paris.


Cimetiere Montmartre 
Cemitério de Montmartre
Metrôs próximos: Place de Clichy e La Fourche.

Neste cemitério você pode visitar os túmulos de gênios das ciências, artes, literatura e outras áreas. Logo na entrada principal, estão à disposição mapas plastificados com a localização dos túmulos famosos. Você pode/deve pegar e devolver o mapa ao final da visita. Alguns famosos que deve-se visitar são: Andre Ampère, Alexandre Dumas, François Truffaut, Edgar Degas, Stendhal, Émile Zola. Veja toda a lista aqui.
Prepare-se para caminhar bastante, os túmulos famosos são muito distantes um do outro. Mas a paisagem é bem agradável, com muitas árvores e jazigos interessantes para observar.


Basilique du Sacré-Cœur 
Basílica do Sagrado Coração
Metrô próximo: Abbesses

Próximo ao metrô Abbesses, você já sai naquelas ruazinhas íngremes de Montmartre cheias de comércio, cafés e lanchonetes. É um ambiente popular, com muitos turistas por m² como em toda Paris. Siga o fluxo e você já verá a igreja ao fundo. Suba as escadarias (não é muita coisa, dá para fazer a pé) ou pegue um bondinho/funicular para subir o monte. Pelo funicular você subirá em apenas 1 minuto e meio, pagando o mesmo que um passe de metrô.
A escadaria é um dos famosos sets do filme O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, então depois do primeiro lance damos de cara com o carrossel da cena.



Foi bem emocionante estar lá. Mas calma que ainda tem uns bons lances de escada para chegar à Basílica. Vá sem pressa e aprecie a vista da cidade lá de cima, além de observar artistas de rua, pintores, desenhistas e pessoas apenas sentadas nos degraus, comendo e conversando.
Não chegamos a entrar na Basílica, mas sua arquitetura externa já é tão bela e imponente, que vale a visita.

ATENÇÃO! Logo depois do primeiro lance de escadas, você provavelmente esbarrará com o famoso golpe da fitinha de Paris. Vimos turistas dando meia-volta por medo e indo embora, mas não achamos necessário. O golpe consiste em: homens (geralmente imigrantes do norte da África) que tentam amarrar uma fitinha no seu braço e depois agressivamente exigem dinheiro pelo "souvenir" forçado. A dica é: feche a cara, passe reto, não responda e segure fortemente seus braços junto ao corpo. Um deles tentou puxar meu antebraço, mas consegui desvencilhar. Se você não estiver a fim de passar por esta "emoção", não pegue a escadaria e vá de bondinho.


Place de la Bastille
Praça da Bastilha
Wikipedia (user: JSquish)
Metrô próximo: Bastille.

A Collone de Juillet (Coluna de Julho) é um dos símbolos mais importantes pós Revolução Francesa. Com certeza todos lembramos pelo menos do termo "Queda/Tomada da Bastilha" que tanto ouvimos na escola.
A praça e seu monumento estão localizados onde era a prisão da Bastilha, que foi destruída no século XVIII. Pelo que pudemos perceber, não há nenhum caminho para entrar na praça, ela está situada em uma rotatória e não há passagens subterrâneas para chegar lá. Mas você pode vê-la da calçada e vale à pena pela história.

DICA GORDA! Passe no restaurante The Grilled Cheese Factory. Fica num espaço pequeno, com uma decoração jovem e moderna. Todas as receitas levam queijo e os atendentes parecem aqueles caras que desistiram dos seus empregos tristes e abriram um restaurante descolado. Tente o muffin de Nutella e o sanduíche de mac&cheese. Yummy!


DIA 2

Torre Eiffel (dia)

Metrô próximo: Trocadero.

A famosa Torre Eiffel, claro, é uma das atrações que nenhum turista vai perder e seria uma bobagem recomendar. Mas deixamos aqui algumas dicas para deixar sua visita mais tranquila.
O metrô Trocadero não é o metrô mais próximo do pé da Torre, mas lá de cima você terá uma visão perfeita dela (diria até emocionante para quem vai pela primeira vez). Depois disso, desça as escadas e caminhe em direção ao monumento.
Não importa o dia da semana, a Torre Eiffel sempre vai ter muitos visitantes. Então, se você quiser subir nela, é melhor se programar e comprar o ingresso antes pela internet. Isso evita um pouco o tanto de filas que você iria enfrentar.
São algumas opções e preços de tickets, acesse aqui para saber mais e comprar o seu.

ATENÇÃO! Nosso hostel nos deu dicas para evitar golpes nas proximidades da Torre. Uma delas é alguém aparecer para você fingindo ser surdo-mudo e pedir uma contribuição. O hostel sugeria: SAY A BIG NO! (diga um grande não!).
Não passamos exatamente por esta experiência, mas uma parecida. Dissemos um pequeno não, porque somos fofas... mas deu certo!
Também há muito trombadinha na região, inclusive lá em cima na Torre. Fique de olho nos seus pertences.


Les Invalides

Metrô próximo: Invalides.

O Hôtel National des Invalides é um enorme monumento construído no século XVII por Luís XIV, para dar abrigo como um hospital aos inválidos dos seus exércitos. Atualmente ainda acolhe os inválidos, mas é também uma igreja, necrópole e sede de vários museus.
Visite o domo (cúpula) coberto de ouro dentro da igreja. E na mesma área, você pode visitar o túmulo de Napoleão Bonaparte.
O valor da entrada são 9 €, veja mais aqui.
Para saber sobre o Museu das Armas que fica no mesmo conjunto de prédios, siga as dicas do site Conexão Paris.


Arc de Triomphe
Arco do Triunfo
Metrô próximo: Charles de Gaulle-Etoíle.

Localizado numa das mais famosas avenidas do mundo, a Champs Élysées, o Arco do Triunfo é um dos mais belos monumentos da França e um dos símbolos mais amados dos franceses. Fora construído no século XIX em comemoração às vitórias militares do Napoleão Bonaparte.  
Você pode subir no monumento e contemplar a incrível Paris lá de cima, vendo também a Torre Eiffel, Basílica de Sacre-Cœur e muito mais. Não fomos, mas o site Conexão Paris recomenda o passeio. Clique e veja mais sobre!   


Champs Élysées
Créditos: Wikipedia (user: Benh LIEU SONG)

Metrôs próximos: Charles de Gaulle-Etoíle, George V, Franklin D. Roosevelt, Champs Élysées Clemenceau e Concorde.

A avenida Champs Élysées é a avenida mais impactante de Paris. Ligando o Arco do Triunfo à Place de La Concorde, é um reduto fashion com lojas das melhores marcas do mundo, bons restaurantes e hotéis. Claro que você irá passar por lá, então dê uma olhada nas lojas e serviços da avenida por este link.

DICA PARA QUEM CURTE COSMÉTICOS! Passe na Sephora da Champs Élysées. É um sonho, a loja é gigante e os produtos da própria Sephora são muito mais em conta que no Brasil. Vale à pena.


Pub Crawl na Bastilha

Metrô próximo: Bastille.

O bairro Bastille é famoso por sua noite movimentada. Por isso, aconselhamos o Pub Crawl que concentre o passeio lá. Adoramos! :)
Não sabe o que é Pub Crawl? "É um evento que visita vários bares e baladas em uma mesma noite. Organizado por quem conhece a cidade, é uma ótima oportunidade de curtir a noite na companhia de pessoas interessantes por um preço acessível. Por isso, além do próprio público local, o produto é bem recomendado para turistas." - via Pub Crawl SP.


DIA 3

Château de Versailles/ Jardin de Versailles

Palácio e Jardins de Versailles
Este passeio mereceu um post só dele. CLIQUE AQUI para ver todas as informações e dicas, vale à pena!


Cathédrale Notre Dame
Catedral de Notre Dame
Metrô próximo: Cité.

Uma das mais importantes catedrais de Paris e marco zero da cidade, Notre Dame foi construída no século XII com uma arquitetura gótica imponente.
Você pode optar por passeio nas torres e na cripta, entre outros lugares dentro da igreja. Confira as taxas aqui.

DICA! Eles guardam a suposta coroa de espinhos de Jesus Cristo, que é exibida aos visitantes somente na primeira sexta-feira de cada mês. Não vimos, mas seria uma experiência interessante. :)


Pont des Arts
Ponte das Artes

Metrô próximo: Louvre Rivoli e Pont Neuf.

Disseram que a famosa ponte caiu por causa do peso dos cadeados que os namorados colocam nela, mas parece estar tudo bem. Pont des Arts está lá ainda, com seus milhares de cadeados, dos simples aos exóticos e de aspecto megalomaníacos.

PONTO FRACO! A ponte tem cheiro de xixi, o que pode acabar um pouquinho com o romantismo do lugar. :(


Torre Eiffel (noite)

Metrô próximo: Trocadero.

Chegamos pela estação Trocadero novamente e o clima é um pouco mais apreensivo, mas nada de novo para quem já vive numa cidade grande. Tome cuidado SEMPRE com seus pertences!
Fomos mais cedo para procurar um lugar para comprar um vinho e assistir a Torre Eiffel acender belíssima. Há muitas pessoas sentadas nos gramados perto de Trocadero, você nunca estará sozinho.
Há aplausos e comoção com a Torre iluminada. É um momento único. :)


DIA 4

Musée du Louvre
Museu do Louvre
Metrô próximo: Palais Royal Musée du Louvre.

Mais um passeio que todo turista faz, nem é preciso falar! Um dos museus mais famosos do mundo, tem um acervo impressionante e é impossível visitá-lo todo em um dia. Por isso, pegamos um mapinha que tem no hall de entrada e fomos ver as obras e peças mais famosas, além daquelas que nos geravam curiosidade. E só isso nos rendeu 3 horas de passeio. O museu é dividido em 4 grandes alas, ou seja, não queira ver tudo que você definitivamente não vai conseguir!

DICA! Compre aqui seu ingresso antecipadamente e evite fila. O valor do ingresso é 11 euros para a exposição permanente.


Jardin du Luxembourg
Jardim de Luxemburgo
Metrô próximo: Luxembourg.

O Jardim de Luxemburgo pertence ao Palácio com o mesmo nome, que hoje em dia abriga a sede do senado da França. O jardim é um lugar muito agradável de ficar, descansar observando os patos no lago artificial ou almoçar (ao estilo europeu, levando uma marmitinha ou um lanche com você). Não só aqui como em outros jardins e parques, as flores dão um espetáculo à parte. São muito bem cuidadas e têm cores tão fortes que até parece que são regadas com corante.
No Jardim de Luxemburgo encontramos cadeiras e espreguiçadeiras para descansar e admirar a paisagem. É um refúgio delicioso para dar uma pausa na correria da viagem.


Cimetiere Père Lachaise
Cemitério Père-Lachaise
Metrôs próximos: Phillipe Auguste, Alexandre Dumas, Père Lachaise e Gambetta.

Mais um cemitério com pessoas muito ilustres descansando nele. Passar por Paris e não visitá-lo é quase tão grave quanto não visitar a Torre Eiffel.
Vá até o prédio de administração do cemitério e peça uma cópia do mapa dos túmulos dos famosos senão é impossível achá-los.
Alguns deles são: Jim Morrison (The Doors), Edith Piaf, Allan Kardec, Oscar Wilde, Honoré de Balzac, Chopin e muito mais.
Às vezes é difícil achar algum túmulo, mesmo com mapa. Mas quando o famoso tem muitos fãs, você conseguirá ajuda. Como no caso do túmulo do Jim Morrison, a rua que ele está enterrado é frequentada por pessoas com estilo rock'n'roll: camiseta preta de banda, cabelos compridos etc. Quando ainda estávamos procurando o jazigo, um grupo de caras desse naipe gritaram: IT´S OVER THERE, YOU´RE GOING IN THE RIGHT WAY/ É LOGO ALI, VOCÊS ESTÃO INDO PELO LADO CERTO.


NÃO FIZEMOS, MAS VOCÊ PODE FAZER

Museu do Louvre e Arco do Triunfo à noite!
Não tivemos tempo e/ou estávamos muito cansadas, mas realmente vale à pena. Paris é a cidade-luz, então seus principais monumentos ficam bem iluminados à noite. O Louvre e o Arco do Triunfo ficam estupendamente lindos no escuro.
Talvez para boas fotos sem muita turistada ao fundo, você pode madrugar e aproveitar a iluminação que vai até um pouco depois do amanhecer. Aproveite!

Café da Amélie Poulain!
O café que é um dos cenários principais do filme O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, localiza-se no famoso bairro de Montmartre. Aproveite a visita que fará ao Sacre-Cœur e dê uma passada no Café des Deux Moulins.
Endereço: Esquina da Rue Lepic com Rue Cauchois.

Moulin Rouge!
Costumamos dizer que não apreciamos este tipo de atração por ser algo meio Disney. É totalmente feito para turista, caro pra caramba e a maioria das pessoas dizem que o espetáculo soa falso, enfim...mas o que não podemos negar é a simbologia que o Moulin Rouge tem para quem vai a Paris. Porém se você quiser ir mesmo, de coração, não vamos te julgar. ;) Faça o que quiser, afinal, nunca se sabe quando voltaremos para Paris, não é mesmo?
Então a dica é: compre seu ingresso bem antecipadamente pelo site.

Crazy Horse!
Um show de cabaré com aspecto sofisticado e erótico. Uma opção mais lado B que Moulin Rouge. Topa? Acesse aqui.

Esperamos que estas dicas sejam úteis para você que está querendo visitar Paris pela primeira vez. Caso tenha alguma dica a mais, informe-nos que incluiremos aqui! Faça uma ótima viagem, esperamos que tenha uma boa experiência na cidade-luz. À bientôt!


Posts relacionados:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...